Notícias

1 18/05/2024 10:02

Do trançado de Fortaleza à renda irlandesa de Sergipe. Dos arranjos de flores naturais desidratadas do cerrado do Distrito Federal às peças em cerâmicas mineralizadas em miniatura do Amapá.

O 1° Festival Nacional de Artesanato na Bahia reúne em Salvador o que há de mais exclusivo do universo do artesanato de várias regiões do Brasil.

Todas as peças estarão expostas e à venda na Arena Fonte Nova desta sexta-feira (17) até domingo (19). O Festival vai reunir mais de 200 artesãs e artesãos dos 27 territórios de identidade da Bahia e artistas de oito estados, além do Distrito Federal, com entrada gratuita, sujeita à lotação do espaço.

Além do icônico artesanato baiano, os visitantes do Festival poderão encontrar peças variadas do rico e diverso artesanato brasileiro, representados por Alagoas, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Piauí, Sergipe, São Paulo, além do Distrito Federal. São peças que sintetizam a cultura e ancestralidade regional de cada estado, muitas delas reconhecidas como patrimônio cultural e imaterial, que encantam não apenas o povo brasileiro, mas turistas de todo o mundo.

O Nordeste terá presença marcante no FENABA. Além da Bahia, outros cinco estados vão representar a região que é conhecida pela grande diversidade artesanal. Importante polo do artesanato brasileiro, o Ceará vai trazer o trançado de Fortaleza, com peças em palhas de carnaúba e milho, transformadas em belas bolsas, cestos, souplast, peneiras e caixas.

Reconhecido por ser um grande produtor, o Piauí, vai encantar o público do evento com a arte santeira feita com entalhe em madeira de imagem de santos, anjos, arcanjos, apóstolos, entre outros. Peças em macramê e crochê, como bolsas, porta copos, brincos e gorros serão os destaques do Maranhão. O estado também vai apresentar no Festival, biojoias de semente de palmito juçara e açaí, conchas e búzios.

As belas e coloridas peças de bordado filé, patrimônio cultural e imaterial de Alagoas, serão o grande destaque do estado no Festival. O bordado filé é uma tradição alagoana carregada de ancestralidade que atravessa gerações. Outro carro chefe será a moda em couros de tilápia e bode, representadas em belas peças, como bolsas e sapatos.

“A renda filé e couro da tilápia são o carro chefe de Alagoas. Fazemos peças para exportação. Estamos levando muitas novidades. Tenho certeza que o povo da Bahia vai amar”, afirma Jailton Barbosa da Silva, diretor financeiro da Federação Alagoana dos Artesãos.

Reconhecida pelo Instituto de Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan), como patrimônio cultural do Brasil, a renda irlandesa será a grande atração do artesanato de Sergipe. A renda irlandesa foi trazida ao Brasil no século 18 e atravessa gerações no estado.

A técnica é produzida com agulha, que combina uma multiplicidade de pontos executados com fios de lacê. A renda irlandesa vem sendo usada em alta costura, sendo utilizada por grandes estilistas do Brasil e até da Europa. No FENABA, a renda irlandesa poderá ser encontrada em toalhas, roupas, colares, brincos, bolsas, entre outras peças. Alagoas também trará para a feira peças em cerâmica.

Sudeste

A região sudeste estará presente no FENABA representados pelos estados do Espírito Santo e São Paulo. Do Espírito Santo, teremos as Casacas, instrumento musical de percussão feito em madeira camará e bambu, um dos símbolos do folclore capixaba. Além de produzir um som inconfundível, a casaca, também conhecida como reco-reco, chama atenção pelo visual artístico. A sua superfície simula o corpo de uma pessoa e no topo são esculpidas cabeças humanas.

O estado de São Paulo trará as famosas biojoias produzidas com escama de peixes. As peças produzidas em cores naturais ou coloridas chamam atenção pela originalidade e beleza. O estado de São Paulo também vai apresentar as famosas galinhas na cabaça e pássaros entalhados e pintados na madeira, belas peças decorativas.

Norte e Centro-Oeste

O Norte, representado pelo estado do Amapá, vai trazer peças em cerâmicas mineralizadas em miniatura que fazem referência à cultura do estado, além de adereços, como colares e pulseiras que representam a ancestralidade dos povos indígenas. Já o Distrito Federal vai trazer para o Festival a beleza e delicadeza dos arranjos de flores naturais desidratadas do cerrado do Centro-Oeste, com cores vibrantes ou naturais. Entre as flores estão: pingo de ouro, sempre viva, capim do cerrado, papoulinha, amarelão, ourinho, folhas-moedas, plumagens, dentre outras, que pelas mãos de habilidosos artesãs e artesãos se transformam em belas peças decorativas.

O 1º Festival Nacional de Artesanato na Bahia é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho (Setre), através da Coordenação de Fomento ao Artesanato (CFA) e das Secretarias da Cultura (Secult), do Turismo (Setur) e de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi). O evento tem correalização da Pau Viola e da Associação Fábrica Cultural e patrocínios do Sebrae e do Programa do Artesanato Brasileiro, vinculado ao Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte.

 







Rua João Fraga Brandão, 473A - 1º Andar - Centro - Jacobina/BA. CEP: 44.700-000
Tel.: (74) 3621-7474 | 9 9121-7888 | 9 9983-4318 | 9 8130-6939 | 9 9148-0077 (Whatsapp) - A Rádio que mais cresce na Bahia!
©2016 - Rádio Jaraguar - Todos os direitos reservados.